Continente busca novas regras para as comunicações

“É a América Latina, a região das veias abertas. Desde o descobrimento até nossos dias, tudo se transformou em capital europeu ou, mais tarde, norte-americano, e como tal tem-se acumulado e se acumula até hoje nos distantes centros de poder”. Se antes as veias, apresentadas pelo escritor uruguaio Eduardo Galeano, estavam abertas por conta da exploração de terras, mão de obra barata; agora elas se alimentam de um nicho dominado por grandes grupos de comunicação, concentrados em grandes monopólios que em muitos casos impedem a propagação de outras vozes no setor. Esse é o cenário comum aos países latino americanos, que vai se repetindo do México à Patagônia.

A 11ª edição da revista MídiaComDemocracia traça panorama regulatório nos países sul-americanos. Leia a revita na integra aqui: http://www.fndc.org.br/arquivos/revista11.pdf