Ao que já se foi

Lentamente queimo nossas lembranças…
Da saudade que não sinto mais de ter você aqui comigo
Apaziguado coração livre de mágoas e utopias de um falido amor
Lento e amargo, nada mais de nós ficou
Nem a fina promessa de amizade
Nossos olhares nunca mais se encontraram e foi melhor assim
Das lágrimas quase derramadas, às risadas de um póstumo relacionamento que não vingou

Tranqüilo, sereno meus sonhos vão em direção a um novo cais
Sem o ruído e o redemoinho de choros e aflições, das esperas intermináveis
E dos incontáveis desencontros
Não que tenhamos nos tornado estranhos,
Na verdade nunca nos descobrimos
Não que eu não sinta mais nada
Para ser sincera, talvez tivesse sido o prelúdio de uma ilusão incansável te ter algo que nem sabia direito o que era,
Mas tudo de desfez e fizeram-se cinzas
Agora fica a calmaria e o sossego
Sem velhas fotos  ocupando a memória!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s