Meio ambiente sob a ótica jornalística

O mundo há algum tempo vem dando “sinais de cansaço” causados pelo aquecimento global, desmatamento, poluição de rios e vários outros agravantes. Com o intuito de fortalecer e ampliar a democratização da informação ambiental, profissionais da imprensa, professores, pesquisadores e estudantes universitários estarão reunidos entre os dias 10 a 12 de outubro em Porto Alegre – RS, no 2º Congresso Brasileiro de Jornalismo Ambiental (CBJA). O tema do evento será: “Aquecimento Global: Um Desafio para a Mídia”.

“Enquanto a grande mídia destina espaço aos variados temas do cotidiano, como política, moda, esportes, violência, entre outros, a mídia especializada em meio ambiente enfrenta o desafio de abrigar em sua pauta a complexidade do tema ambiental, que vai desde as questões da ecologia natural até a ecologia humana, envolvendo aspectos econômicos, ambientais, sociais, culturais,” afirma Vilmar Sidnei Demamam Berna, escritor, jornalista Ambiental e editor do jornal Meio Ambiente.


Mas Demamam, que esteve presente ao evento, aponta mudanças no tratamento da mídia sobre o assunto. “Há tempos atrás, os grandes meios de comunicação só se ocupavam dos temas ambientais quando eram desastres. Hoje, percebo que isso está sendo superado lentamente. Já vejo com alguma freqüência a chamada grande mídia realizando boas coberturas ambientais”, comenta.


Para Cristiane Finger, editora regional do SBT/RS e professora da PUCRS, que foi uma das medidadoras do evento, a polêmica do aquecimento global acabou puxando a preocupação em relação ao meio ambiente. O que antes era visto como algo de ecologistas excêntricos passou a integrar as preocupações cotidianas. “As mudanças climáticas, as secas e enchentes alternadamente são conseqüências desse problema que antes se imaginava ser das gerações futuras e que hoje estão batendo a nossa porta” comenta.


Finger acrescenta: “É pela mídia que começa realmente a conscientização da população para esse problema e é só através de uma especialização, de um conhecimento maior por parte do jornalista que as reportagens avançam e que se pode fazer notícias e informar à população contribuindo para uma mudança de atitude, um posicionamento”.
Exemplo local, reflexo global

Há um ano o Rio Dos Sinos ganhou espaço em diversos meios de comunicação e até foi pauta em um programa do Canal futura, o motivo: a mortandade de peixes do rio, causado pelo descaso.

Na foto abaixo vêse a proximidade da nascente de águas limpidas. Pena que ela não consiga fazer seu percurso mantendo-se assim. No vídeo o resultado de quilometros de desprezo e despreocupação. A imagem em questão é em São Leopoldo, sua nascente em Caraá.

Rio dos Sinos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s